terça-feira, 25 de setembro de 2012

Dieta Emocional


Texto escrito para o Clube da Leitura em 25/09 sobre a perda do tempo buscado.

Não estou me sentindo muito bem. Não é nada físico, mas algo dentro de mim – incomoda. Resolvi ir ao médico. Chegando lá, falei o que sentia. E mesmo falando, falando, ainda sim não conseguia definir exatamente o que era - para que o médico me passasse um medicamento que fizesse aquele incomodo desaparecer.

Após meu blá blá blá infermo, o médico disse: “Você precisa de dieta”. E na mesma hora que disse isso, pensei: “Será que este incômodo são gases?”. Para minha maior surpresa, o médico não me recomendou um Luftal, mas sim continuou: “Você está precisando de uma dieta emocional”.

Dieta emocional? Fiquei mais de cinco minutos tentando entender o que ele queria dizer com aquilo, e o médico com muita paciência começou a me explicar a necessidade do tratamento – uma dieta de desintoxicação emocional, vulgo detox emocional.

Precisava emagrecer meus sentimentos, esvaziar, tirar umas férias emocionais – descansar a alma – só assim conseguiria me tranquilizar e me limpar emocionalmente.

Meus sentimentos estão inflados, cheios de impurezas desnecessárias – e por isso, o incomodo – disse ele.

O médico me fez entender que tem certas coisas que não se curam com medicamentos, se curam com exercício emocional. Gastamos tempo e energia nos preenchendo com rotinas, histórias, estresses e afins que só nos engordam de substâncias e sentimentos totalmente desnecessários. Temos que aprender a nos alimentar somente de sentimentos saudáveis.

Ele me cortou tudo: Facebook por 24h, Instangram e twitter, ligações de madrugada, bebidas durante a semana, pessoas que não levam a nada, sexo casual, mensagens desnecessárias, conversas e exposições exageradas, encontros fadados ao fracasso, dar chance para quem não se tem interesse, desalinhos familiares, improdutividade profissional, vestidos apertados, projetos impossíveis, noites mal dormidas, jogar na Mega Sena, pratinhos rodando.

Os primeiros dez dias, segundo ele, devem ser radicais. O importante desse corte é eliminar principalmente qualquer perda de tempo no que e em quem não me leva a nada e a lugar algum. Ao contrário dos exercícios físicos, o exercício principal nessa dieta é o da inércia.

Explicou que tem horas na vida, que a melhor coisa é não fazer nada. Movimentos demasiados demais cansam demais, gastam energia, e a gente acaba nos desperdiçando, desperdiçando o melhor de nós em situações e com pessoas que não vão enxergar ou reconhecer - pelo menos agora. E todo esse movimento, só gera uma estafa emocional.

Sempre achei o contrário. Quanto mais movimento, mais coisas aconteciam, mais rápido eram os resultados e mais se conquistava. Porém, só agora percebo quanta ansiedade ingeri e quanto tempo perco com histórias sem sentidos, em projetos fracassados, com pessoas que nunca se importaram ou vão se importar. Quanto tempo perco me alimentando de coisas emocionalmente ruins para minha alma. O quanto engordei com porcarias que jamais devia ter absorvido - e só agora percebo que quem esvazia a alma é livre. 

sábado, 22 de setembro de 2012

Homenagem ao querido casal Camila e Fábio


Minha homenagem a vocês, meus amigos Camila e Fábio.
O difícil foi ler no Chá-bar... Felicidades!  (base Texto da Semana)

A Camila me disse outro dia: “O Fábio já é parte do que sou”.

Se relacionar é exatamente isso. Ver que o nós vira parte de si. E o nós se transforma no que somos. Isso é o resultado, não só de amor, mas sim de sinergia.

Sinergia, por conceito, é a combinação de dois elementos de forma que o resultado dessa combinação seja maior do que a soma dos resultados que esses elementos teriam separadamente.

Pena que muitos casais não entendem isso, mas que bom que outros sim e se alinham tão bem. Que bom que além de sinergia, se tem amor, amor genuíno – dar sem pedir em troca, o ficar feliz com a felicidade do outro. Só assim os seus 50% com os dela, se transformam em 125% ou mais – depende da combinação de vocês de cada dia.

Essa soma só existe porque vocês existem e transbordam o que cada um tem de melhor, agregado com um pouquinho, ou grandes doses de si no outro, transformando o si em nós.

Confuso isso? Sim e não. Se relacionar nunca vai ser fácil, ainda mais com toalha molhada na cama. Se passamos 24 horas com nós mesmos por uma vida inteira e mesmo assim não nos entendemos, vamos querer entender a outra pessoa por inteiro?

Pura ilusão, desistam! Apenas se entreguem sem medo ao que vocês já construíram um no outro, um com o outro, pois com amor genuíno e sinergia, vocês transformarão espinhos em flores, ilusão em realidade, turbulência em paz, sonhos em conquistas e por aí vai.... sejam felizes, amo vocês!

Tem um texto que diz:


A inteligência sem amor... te faz perverso!
A justiça sem amor... te faz implacável!
A diplomacia sem amor... te faz hipócrita!
O êxito sem amor... te faz arrogante!
A riqueza sem amor... te faz avarento!
A pobreza sem amor... te faz orgulhoso!
A autoridade sem amor... te faz tirano!
A simplicidade sem amor... te deprecia!
A fé sem amor... te deixa fanático!
A cruz sem amor... se converte em tortura!
A oração sem amor... não tem valor!
A vida sem amor... não tem sentido!

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

A Sinergia de Deus.



- Deus, quanto é dois mais dois? – perguntou um menino a Deus.
- Cinco – respondeu ele.

Cinco? Voltou o menino para casa se questionando se Deus era bom mesmo em matemática. Mas, como Deus, tão sábio, poderia não saber fazer uma conta tão simples?

Ao chegar em casa, o menino, resolveu entrar no Google, afinal lá ele encontra respostas mais seguras e certas que as de Deus. E mais confuso ainda ficou ao ver o que Deus queria dizer com aquela resposta.

O menino encontrou no Google o conceito da sinergia: combinação de dois elementos de forma que o resultado dessa combinação seja maior do que a soma dos resultados que esses elementos teriam separadamente.

O menino entendeu o que Deus queria dizer com aqueles 25% a mais em sua resposta e naquele momento, Deus, mudou sua vida.

Fico feliz mesmo que em ficção, de ver que os meninos ainda podem entender certos valores que estão se perdendo cada vez mais nos tempos modernos.

A individualidade exacerbada esta afogando todos os tipos de relação – pessoal, profissional, familiar. As pessoas não conseguem entender que a soma dos meus 50% com os seus 50%, não dá 100%, mas sim 125% - só que nem Deus consegue fazer com que a humanidade entenda isso hoje em dia. E talvez seja por isso, que o mundo anda por aí perdendo esses 75% que poderia existir, sem perceber.

E ainda achamos que Deus era ruim de matemática.

Esses 25% é resultado de uma soma que só existe porque a gente existe. Um particular nosso, consequência de nós dois, e que nós ganhamos. Sinergia é isso. Resultado a mais, fruto de uma combinação que separadamente não teríamos.

Pena que hoje as pessoas estão preferindo viver só, trabalharem sós, não gerarem famílias, filhos – por uma nova cultura, medo de se magoarem novamente, questões financeiras, praticidade ou sei lá. E talvez por isso o mundo esteja se perdendo, emburrecendo e ficando cada vez mais só.

Só lamento.

Seria ótimo poder transformar o si em nós, fazendo com o que nós, se transforme no que somos de melhor. Mas, isso é seu papel, Deus? 

domingo, 16 de setembro de 2012

Segunda-feira



Saí do banho quente, com o corpo ainda molhado, comecei a passar o creme pelas pernas. Não vi você entrar. Você me abraçou por trás, ainda com roupa e cheiro de trabalho. Senti seu cheiro se misturando com o meu limpo de banho. Adoro esse cheiro. Não me virei, fechei os olhos. Você segurou meus seios, chupou minha nuca, lambeu minha orelha. A água dos cabelos molhava meu colo, sentia escorrer pelo corpo e molhar o lençol. Tirei sua roupa, me esfreguei pelo seu corpo para misturar ainda mais o nosso aroma. Você estava suado, senti na minha boca o gosto salgado. Você segurou meu rosto, me beijou ardentemente e deslizou sua mão, boca e língua pelo meu corpo todo. Senti você dentro de mim, me tocando. A cada movimento nos encaixávamos mais. Meu corpo começou a esquentar e a queimar de tesão e prazer, queria mais. Você me virou, me segurou mais forte e como se fosse falar alguma coisa, mordeu o meu ombro e depois chupou. Segurando a minha cintura, você me dominou e desceu até me tocar e em movimentos sincronizados e me amou. O amor se misturou com sexo, cheiro e gozos. Uma, duas e mais vezes. Suávamos juntos. Mudávamos de posição, nos sentíamos inteiros, como se nunca tivéssemos nos devorado antes. Apesar do suor o cheiro de banho com creme ainda podia ser percebido. Você lambeu o meu pé de unhas vermelhas, de um jeito que parecia fazer amor com ele. Senti prazer. Deslizei até você, te molhei inteiro com a minha boca. Te suguei e nos amamos de novo, agora mais calmo, sem falar nada. As palavras ardentes e libidinosas deram espaço a declarações, olho no olho. Fui capaz de sentir sua alma e meu coração pulsar, com a certeza dentro de mim de que você era meu. Em seguida do gozo de amor, adormecemos atravessados na cama e misturados no lençol em plena segunda-feira.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Matéria no Folha Carioca



Um clube de apaixonados pela literatura


Criado há cinco anos pelo proprietário do sebo Baratos da Ribeiro, Maurício Gouveia, e por frequentadores assíduos como Guilherme Preger e Danielle Costa, o Clube da Leitura vive seu apogeu com o lançamento da segunda coletânea de contos escritos pelos próprios participantes.
A ideia do Clube é exatamente esta: ler e ser lido, além de fazer amigos.
texto_RENATO AMADO

Para ler a matéria clique no link: Um clube de apaixonados pela literatura

Vale a Leitura!!
O Clube da Leitura - Meu clubinho que adoro!! :-) Toda semana agora é manchete.

Adeus 2012


Conto escrito para o Clube da Leitura de 11/09 - Mote da semana: Suicidas.

Acordei, minha cabeça doí. Ainda posso ouvir o som do frisson da noite passada. Levanto e vejo a roupa branca no chão, as bebidas espalhadas. Me olho no espelho e nada mudou.
Ando pela casa até chegar à cozinha, e até então, nada mudou desde ontem à noite. Pego o novo calendário e prego na geladeira. Jogo fora o velho e - transformar o amanhã em hoje, jogando fora o ontem – continua sem mudar nada.
Abro a janela, o sol brilha, e vejo a mesma paisagem comum de anos. Vou te procurar no quarto esquerdo. Abro a porta e está vazio. Há quantos anos?
Volto para a sala e aqui também, nada mudou. Decido ir ao quarto da bagunça, e lá, encontro uma caixa. Nela há várias fotos, minhas, de momentos, de viagens, de amores, de amigos, filhos, de diferentes paisagens. Junto todas, me olho no espelho de novo e percebo que tudo mudou – só não sei quando.
Volto para a geladeira e revejo as resoluções do outro ano e me parecem as mesmas deste, do outro, do outro, do outro... Nada mudou: amor, dinheiro, saúde, paz, emagrecer, fazer cursos, exercícios, gastar menos, poupar mais....  e ser feliz, ser feliz... sempre as mesmas coisas, ontem, hoje, amanhã.
Feliz? Amanhã? Para quê, se será igual a hoje e ontem?
Olho novamente na janela e vejo a mesma paisagem, a estrada de sempre. Todos os dias o sol nasce e tem essa estrada sinuosa ali bem a minha frente. Mas, hoje algo sim tinha mudado. Havia uma placa, mas não consigo ler o que está escrito. A alta luminosidade, os muitos carros passando me atrapalham a visão e me confundem.
Vou ao quarto da bagunça novamente, mas dessa vez para pegar um binóculo, e encontro também uma arma.
Volto à janela com o binóculo em uma mão e a arma na outra. Olho para eles. Estou cansada. Coloco o binóculo no rosto para ler a placa. Me assusto. Tiro o binóculo dos olhos após ler que a placa dizia: “O caminho dos sonhos”. 

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Eu só me FODO



Eu só me FNMN

Este será o título de meu próximo livro - e acredito eu, que não poderei chama-lo de romance. Talvez de um lance assim, meio complicado de final nada simples, mas simplesmente comum.

Bom ou ruim tenho certeza que este título fará com que eu e você, você e ela, ela e ele se identifique com essa fodisse toda nos relacionamentos de cada dia. E felizmente percebo que não sou, ou já fui, sozinha nesse barco furado que se chama vida!

Mas já que o estupro é inevitável, melhor fazer de um limão, literatura, e rir de histórias inacreditáveis. Não acham?

Sorte ou azar, quem nunca foi abandonado no próprio encontro? Quem nunca tomou um, dois, três, ou quatro bolos? Quem nunca recebeu um presente de grego, ficou com uma conta bizarra, uma baranga ou outras coisas na mão? Quem nunca ouviu que camisinha era marketing, ou o seu também é VISA?

Quem nunca achou que só se fode?

Pois é, graças a Nossa Senhora das furadas, ou melhor, graças a Nossa Senhora do se Fode aí, não sou apenas uma andorinha nesse verão, ou inverno passado -  e por isso peço a vocês suas histórias de relacionamentos, que digamos assim, não deram lá muito certo, mas que hoje te fazem rir.

Faça como no facebook, cutuque suas lembranças, curta e compartilhe comigo. Quem sabe suas histórias não viram bestseller. afcorujo@gmail.com.