domingo, 18 de novembro de 2007

AS MÁSCARAS

As mascaras... lindas, belas, de porcelana, de papel maché, ou simplesmente escudos, capas de nós mesmos de nossas próprias verdades. Mascaras para esconder o escuro, o lado triste, o medo, os sentimentos verdadeiros. Máscaras para sorrir, máscaras para agradar, máscaras para nos presentear de falsas verdades com falsas mentiras. As máscaras são belas por um tempo, mas com ele se tornam pesadas... vamos acumulando, uma e mais outra.... só que chega uma hora, que elas caem... cedo ou tarde... no momento em que não podemos mais sustentá-las, segurá-las, ou porque simplesmente não “colam” mais.... é duro ver um rosto estranho, de pele, carne e osso e tão frágil por de trás de tanto brilho das belas máscaras maquiadas. Mas, a beleza não está nas máscaras, na falsidade, está na simplicidade de um rosto como um outro qualquer, mas que pode fazer toda diferença.

Um comentário:

Felicíssimo disse...

Perfeito Ana!

Gosto muito da maneira como você escreve!

Parabéns!

Grande abraço

Calebe.