domingo, 9 de dezembro de 2007

A arte de ser um diamante

Saber ser um diamante é uma arte, levei muito tempo para entender isso e quase que por acaso através de uma conversa com um grande amigo consegui perceber que o desastre de não ser um diamante aos olhos de outros, muitas vezes, é porque dedicamos nosso melhor para pessoas que não merecem ou não são capazes de entender ainda nem o básico. Desperdiçamos energia, nós mesmos em tentar mostrar o diamante que somos as pessoas, e quando isso não é percebido, não conseguimos entender o que aconteceu. Fácil! “Pérolas aos porcos” serão sempre “Pérolas aos porcos”. Para quê entregar uma banana split para alguém que por hora quer ou merece só uma bola de sorvete e de baunilha!?

Precisamos entender a linguagem do outro e que a ansiedade em se mostrar, a fim de conseguir a aceitação, nada mais trás do que a rejeição. A ansiedade apesar de vir da palavra ânsia, que é positiva, que vem da ânsia de viver, de querer, de conquistar, de realizar, de se mostrar... gera a famosa ansiedade que na maioria das vezes não é usada na dose certa e atrapalha desde uma simples conquista, a uma história de amor. O tempo sempre é o senhor dos sentimentos e das respostas, mas para isso é preciso ter paciência e a sabedoria em saber dosar as doses de você mesmo.

Acabamos desvalorizando o diamante que somos, quando queremos mostrar ao mundo dando o nosso melhor sem que este seja conquistado. Nos tornamos vítimas de nós mesmos transferindo para o outro nossas ansiedades e inseguranças. Por que temos essa enorme necessidade em extravasar de alguma forma essa ansiedade que é só nossa? Percebo que os “rompantes”, atitudes “over”, ou “excesso de dedicação” nada mais é que o reflexo dessa ansiedade e insegurança; da arte do não saber jogar as oportunidades da vida ao nosso favor, talvez por não conseguir acreditar que um diamante pode ser percebido mesmo que numa sala escura no canto, simplesmente porque os diamantes – brilham!

2 comentários:

Roberto disse...

Adorei!!! Muito bem!

Anônimo disse...

Oi Flavia meu nome AnaQuésia eu nâo acredido em amo eterno adorei seus poemas todos é muito lindos